28 de Mai de 2020

Warning: getimagesize(images/2020/Colírio.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/e/bf/a3/portaldaoftalmologi2/public_html/plugins/content/multithumb/multithumb.php on line 1558

Warning: getimagesize(images/2020/Colírio.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/e/bf/a3/portaldaoftalmologi2/public_html/plugins/content/multithumb/multithumb.php on line 1558
Multithumb found errors on this page:

There was a problem loading image 'images/2020/Colírio.jpg'
There was a problem loading image 'images/2020/Colírio.jpg'

Mau uso e armazenamento inadequado podem alterar o produto

Colírio

Muita gente não sabe, mas os colírios são medicamentos e, como tal, não devem ser usados indiscriminadamente. Há tipos diferentes de colírios, cada um indicado para uma necessidade específica: podem ser lubrificantes, antibióticos ou anti-inflamatórios. Além desses, há ainda os usados para o tratamento de glaucoma. "É preciso ter cuidado porque como qualquer remédio, o mau uso pode ocasionar problemas oculares graves", explica o oftalmologista Dr. Ricardo Yuji Abe, médico especialista em Glaucoma. 

Dr. Yuji Abe ressalta que, apesar de alguns não exigirem receituário para compra, os colírios devem ser utilizados somente com prescrição médica, mesmo que seja um lubrificante, principalmente para quem usa lentes de contato. "A orientação do oftalmologista é fundamental para que o medicamento seja adequado à patologia", reforça o oftalmologista. O médico ressalta que a maneira de armazenar e transportar a medicação também pode influenciar na saúde ocular do paciente. A maioria dos colírios tem a temperatura ideal de armazenamento, variando entre 15ºC e 30ºC. "Não há problemas em levar colírios em viagens. A altitude não prejudica ou altera a fórmula ou a bioquímica do medicamento. O que vale destacar é como o colírio será armazenado para não sofrer extremos de temperatura, tanto frio quanto calor, pois isso pode alterar a propriedade do produto. Também orientamos que se o paciente for viajar para fora do Brasil, o ideal é que compre o colírio antes de viajar e leve o remédio daqui", salienta o Dr. Yuji Abe.

Outro fator que deve ser observado é a data de validade. "A maioria dos colírios quando entra em contato com o ar, tem risco de contaminação com o passar do tempo. Variam, em média, de 30 a 60 dias, mas isso também tem que ser conferido na bula", diz o especialista. Por isso, o ideal é descartar o produto após o fim do tratamento, sem reaproveitamento. A aplicação também requer cuidado. É recomendável lavar bem as mãos antes de pingar o colírio e evitar que o aplicador entre em contato direto com os olhos. "Pode machucar a córnea e levar a um trauma, além de contaminar a ponteira do frasco. E não compartilhe o colírio, porque há risco de infecção", destaca o Dr. Ricardo Yuji Abe.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: assessoria de comunicação do Grupo Opty