ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Escrito por José Mulser    Qui, 30 de Janeiro de 2014 16:12    PDF Imprimir E-mail
Glare e Halos na cirurgia de miopia

Glare e os halos noturnos são fenômenos ópticos que podem ocorrer em pessoas que fizeram a cirurgia refrativa para correção de miopia, astigmatismo ou hipermetropia. Embora sejam transitórios e não ocorram o tempo inteiro, costumam causar incômodo nos pacientes. O glare e os halos ocorrem com mais frequência a noite e em ambientes escuros.


Glare e halos após cirurgia de miopia
 
Podemos dividir o glare em duas formas: a forma transitória que resolve espontaneamente em cerca de três meses e a forma persistente, na qual esses fenômenos duram por mais tempo.
 
Causas do Glare

O glare ocorre porque o laser é feito só na região central da córnea. A parte mais periférica da córnea não recebe o laser. Em ambientes escuros, a pupila dilata e ultrapassa em tamanho a região da córnea aonde foi feito o laser. Como a pessoa passa a enxergar uma parte da córnea sem laser e outra com laser, ocorre esse glare. Isso também ocorre quando o laser não é feito exatamente no centro da córnea, ou seja quando o laser foi feito descentrado. Vale lembrar que o mesmo fenômeno pode ocorrer em pessoas que usam óculos, quando ela olha por fora e por dentro da lente ao mesmo tempo e também em usuários de lentes de contato.
 
          
 
Fatores de risco para a ocorrência do glare:  
 
- Pacientes jovens e com olho claro 
- Pessoas com pupila grande 
- Cirurgias para graus altos de miopia ou astigmatismo 
- Tratamento a laser feito com diâmetro (tamanho) muito pequeno ou muito grande 
- Sobra de grau depois da cirurgia (hipo ou hipercorreção) 
 
Tratamento do Glare 
 
Como dito acima, a maioria dos casos resolvem espontaneamente em um período de até três meses. Os casos persistentes e que atrapalhem significativamente a vida da pessoa necessitam de tratamento, que pode ser feito com: 
 
Colírios que diminuem o diâmetro da pupila - O mais comum é o colírio de pilocarpina diluído. Esse colírio é muito eficaz mas tem alguns efeitos colaterais e não é bom usá-lo por períodos prolongados. A outra opção é o colírio de tartarato de brimonidina (Alphagan) que originalmente é um colírio para tratar glaucoma mas também tem um efeito no tamanho da pupila. A brimonidina tem sido a escolha da maioria dos cirurgiões 
 
Cirurgia a laser: Nos casos de glare persistente pode ser feito um retratamento com laser. Nesse caso é importante que seja feito o exame de aberrometria (wave front) para programar o laser. Isso é o que chamamos de cirurgia personalizada, na qual corrigimos as chamadas aberrações de alta ordem.




Fonte: Portal Médico de Olhos
 

Eventos

XXXVII Congresso Brasileiro de Oftalmologia e XXX Congresso Pan-Americano de Oftalmologia
12 November 2010
Data: 07/Agosto até 10/Agosto Site: http://www.congressocbo.com.br/cbo2013/Endereço: Av. Salvador Allende, 6.555 - Barra da Tijuca - Tel. 3035-9100Local: RiocentroDescrição: Um programa...

Últimas Notícias

Cegueira 'causada' por cebola roxa no Vietnã vira tema de documentário
26 April 2016
Uma cidade no sul do Vietnã virou tema de um documentário sobre efeitos da pobreza e falta de condições de trabalho. Em Vich Chau existem 1 mil pessoas cegas por conta de uma infecção nos...