ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Escrito por José Mulser    Ter, 21 de Junho de 2011 12:07    PDF Imprimir E-mail
Conheça os principais Exames Oculares
Acuidade Visual à laser

Também chamado de Retinometria à Laser, permite a antecipação do quanto de visão o paciente virá a ter após a retirada da catarata ou de uma hemorragia intra-ocular. Frequentemente, esse exame evita que o cirurgião realize cirurgias desnecessárias ou que trarão pouco (ou nenhum) benefício ao paciente.

Angiofluoresceinografia

Permite o diagnóstico de diversas alterações da retina e do nervo óptico. Através do uso de um contraste que preenche os vasos retinianos é possível estudar doenças da retina em fases iniciais e realizar o tratamento adequado precocemente. Além disso, a Angiofluoresceinografia permite acompanhar a eficácia da fotocoagulação a laser, sendo por isso amplamente usado em pacientes com retinopatia diabética e várias outras doenças retinianas.

Campo Visual


O campo visual é o conjunto de pontos no espaço que o olho teoricamente imóvel percebe, podendo ser monocular ou binocular. No movimento ocular há um campo visual dinâmico, porém, para o exame do campo visual é fundamental a imobilidade ocular. O exame pode ser realizado nos instrumentos computadorizados ou manuais.

Ecobiometria


Faz a medida das estruturas oculares e é de uso obrigatório para cálculo da lente intra-ocular (LIO) que substituirá o cristalino opaco retirado com a facectomia.

Ecografia

Indispensável quando a opacidade dos meios transparentes (córnea, lente e vítreo) não permite o exame do interior do olho. Assim, é útil no diagnóstico dos tumores, hemorragias, corpos estranhos intra-oculares e descolamentos de retina.

Eletromiografia ocular

Usado como guia na aplicação da toxina botulínica nos musculos extra-oculares.

Eletrorretinografia e eletrooculografia

Possibilitam o diagnóstico de doenças degenerativas em estadio evolutivo inicial, realizando uma avaliação do estado funcional da retina.

Exame Neuro-oftamológico

Destina-se à avaliação da parte neuro-sensorial do olho, que inclui a retina e o nervo óptico, além das estruturas retro-oculares como as vias ópticas e o córtex visual cerebral. Várias doenças podem causar dano ao nervo óptico e afetar a visão, ou causar dano aos núcleos cerebrais dos nervos oculamotores causando problemas na movimentação ocular. Além do exame clínico onde é avaliado as condições das pupilas, dos reflexos fotomotores eda papila óptica, lançamos mão de exames complementares extremamente importantes como o campo visual, a topografia de papila ou mais recentemente do analisador computadorizado das fibras do nervo óptico, para fazer o diagnóstico diferencial. Muitas vezes o diagnóstico e o tratamento têm que ser conduzidos de maneira conjunta entre o oftalmologista e o neurologista.

Exame Ortóptico

É um exame complementar ao exame oftalmológico feito pela ortoptista que visa detectar o estrabismo; a ambliopia (a baixa de visão em um dos olhos). O objetivo é o tratamento através do uso de óculos, de oclusão, de exercícios ortópticos feitos no consultório (aparelhos especiais) ou em casa, e se necessário o encaminhamento para cirurgia de estrabismo feito pelo próprio oftalmologista.

Eletrorretinografia e eletrooculografia


Possibilitam o diagnóstico de doenças degenerativas em estadio evolutivo inicial, realizando uma avaliação do estado funcional da retina.

Laser de Argônio

Com este laser é possível realizar o tratamento da retinopatia diabética, uma das causas mais frequentes de cegueira em todo o mundo. É também uma arma importante no tratamento do descolamento de retina, assim como tratar diversas modalidades de glaucoma, evitando-se em certos casos, cirurgias mais delicadas.

Microscopia Especular de córnea


Exame que analisa em detalhes o endotélio corneano, camada mais importante da córnea. O endotélio é o principal responsável pela manutenção da transparência da córnea, mantendo-a em um estado de desidratação parcial e, quando lesado, não apresenta regeneração das células. Através da microscopia especular somos capazes de analisar a quantidade de células endoteliais presentes, seu tamanho e formato, sendo este exame importante no diagnóstico de várias patologias corneanas e na avaliação do risco de descompensação da córnea nas diversas cirurgias intra-oculares.

Paquimetria Ultrassônica

Exame que mede através de ultrassom a espessura corneana. Uma córnea sadia e em perfeito estado funcional apresenta-se dentro de uma faixa de espessura normal. Quando há presença de patologias na córnea ou lesões desta após cirurgias oculares, principalmente em sua camada mais interna (endotélio), a
córnea apresenta-se com edema (inchaço) , portanto mais espessa. Outras patologias, como o ceratocone, levam ao afilamento corneano. Nestes casos, a paquimetria corneana pode ser útil tanto no diagnóstico da patologia, quanto no acompanhamento dos resultados do tratamento instituído e da evolução da doença. Outra aplicação importante é no planejamento das cirurgias refrativas feitas na córnea, seja através de excimer laser (PRK e LASIK) ou de bisturi de diamante (ceratotomia radial e arqueada).

Potencial Visual Evocado

Permite situar na retina ou em situação extra-retiniana a causa de uma deficiência visual ou mesmo de uma cegueira.

Refração Computadorizada

Método automático de avaliação da refração (grau) do olho, principalmente na presença de miopias, hipermetropias e astigmatismos mais fortes, com córneas irregulares, no ceratocone e em crianças.

Teste de Visão de Cores

É um método auxiliar diagnóstico importante nas doenças da mácula e do nervo óptico.

Topografia Computadorizada a laser

Com esta topografia é possível detectar lesões na cabeça do nervo óptico muito mais precocemente do que no exame comum de fundo de olho, já que mínimos sinais de agravamento são identificados pelo aparelho. O exame é rápido e sem quaisquer riscos para o paciente.

Topografia Corneana Computadorizada

Exame realizado para mapear a superfície da córnea. É de fundamental importância para o diagnóstico de diversas patologias, entre elas, o Ceratocone. É indispensável para a avaliação pré-operatória nas pessoas
candidatas a cirurgia refrativa para correção de miopia, astigmatismo e hipermetropia. Proporciona também uma perfeita análise da estabilização do astigmatismo após as cirurgias de catarata e transplante de córnea.

Yag Laser

Permite a complementação da cirurgia da catarata, nos casos de opacificação da cápsula do cristalino, e também torna possível a liberação de membranas intra-oculares.
 

Eventos

XXXVII Congresso Brasileiro de Oftalmologia e XXX Congresso Pan-Americano de Oftalmologia
12 November 2010
Data: 07/Agosto até 10/Agosto Site: http://www.congressocbo.com.br/cbo2013/Endereço: Av. Salvador Allende, 6.555 - Barra da Tijuca - Tel. 3035-9100Local: RiocentroDescrição: Um programa...

Últimas Notícias

Pílula do dia seguinte coloca a visão em risco
19 August 2014
Mais da metade das adolescentes usa a pílula do dia seguinte indiscriminadamente. O hábito pode aumentar o risco de glaucoma e outras doenças oculares graves, alerta especialista.Garotas...