16 de Dez de 2018

Na temporada mais quente do ano, a maior exposição a ambientes ao ar livre, como piscinas e praias, pode aumentar a vulnerabilidade em relação a doenças oculares para usuários de lentes de contato

Está chegando o verão, e com ele o tão esperado momento de férias e descanso para muitas pessoas. Isso propicia maior frequência a praias, clubes e parques aquáticos. Durante este período, quem necessita de óculos, muitas vezes, opta por usar lentes de contato, tanto pela maior praticidade, como pela estética. Entretanto, os cuidados com estes itens devem ser enfatizados pelo risco de complicações devido ao mau uso e conservação. A médica oftalmologista, especialista em Córnea e Lentes de Contato, Dra. Helena Oliveira, explica que não é aconselhável utilizar as lentes de contato com frequência durante o banho de mar ou piscina.

"O ideal é evitar a exposição, mas caso isso não ocorra, existem lentes mais adequadas para esta situação como, por exemplo, as de descarte diário. Em tese, elas possuem menor risco de contaminação, pois a cada dia será utilizada uma lente que estará armazenada em recipiente estéril", ressalta.

Deve-se também atentar para os cuidados básicos de higiene, forma de manuseio e prazo de validade das lentes. É importante lavar bem as mãos antes de manuseá-las, bem como utilizar bancada igualmente limpa. As lentes não devem ser limpas com água ou água boricada em nenhuma hipótese. Pode-se usar o soro fisiológico em situações excepcionais.

"É de extrema relevância utilizar o produto correto diariamente para a limpeza adequada", comenta a Dra. Helena. Ela explica também que, a princípio, as lentes podem ser utilizadas por até 12 horas/dia, mantendo sempre o acompanhamento médico para avaliar o paciente durante o período de uso. Importante lembrar também que não é recomendado dormir com as lentes, pois aumenta o risco de complicações.

Outro ponto de atenção diz respeito às viagens de avião. O ideal é utilizar os óculos, pois nas aeronaves o ar torna-se mais seco. Caso as lentes sejam indispensáveis, deve-se procurar o oftalmologista, para adequada orientação e prescrição de colírios lubrificantes. Caso surja algum tipo de irritação ocular, vermelhidão, dor, secreção ou desconforto à presença da luz, o médico deve ser procurado.

"Nestes casos, é importante investigar a presença de processo inflamatório ou infeccioso, principalmente as úlceras de córnea. Caso não haja tratamento adequado em tempo hábil pode haver complicações mais graves", finaliza a médica.

É importante enfatizar que a adaptação de lentes de contato deve ser feita pelo médico oftalmologista, pois ele irá avaliar se há indicação de uso e qual o tipo adequado de lente para cada paciente.

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de comunicação do H. Olhos - O Hospital de Olhos Paulista