09 de Ago de 2020

Hospital comemora 100 anos divulgando estudos de casos de sete subespecialidades da Oftalmologia

O Instituto Penido Burnier, primeiro hospital oftalmológico do Hemisfério Sul que já atendeu 1,6 milhão pacientes desde sua fundação por João Penido Burnier em 1920, completa 100 anos na próxima segunda-feira, 1º  de junho. Segundo o oftalmologista Dr. Leôncio Queiroz Neto, presidente do hospital, por falta de alternativa diante da pandemia de Covid-19, o aniversário vai ser comemorado com um webinar que acontece a partir das 20h de 1º de junho. O evento online abrange as principais subespecialidades da Oftalmologia em sete estudos de casos desenvolvidos pela equipe médica do hospital. A inciativa conta com a chancela de duas entidades internacionais: Associação Pan-Americana de Oftalmologia (PAAO) e Conselho Internacional de Oftalmologia (ICO). As inscrições são gratuitas e já podem ser feitas pelo  https://tinyurl.com/y8pnb2z9

Covid-19 afeta a visão

Queiroz Neto afirma que a visão é o sentido que mais está sofrendo com o isolamento imposto pela pandemia. Isso porque, além de nem todos os atendimentos poderem ser feitos com precisão através da telemedicina, um levantamento realizado pelo médico com 814 participantes de 25 a 65 anos mostra que 47% só passam por consulta oftalmológica quando têm dificuldade para enxergar. O problema, comenta, é que a maioria das alterações na visão não são percebidas logo no início. “Doenças oculares crônicas que levam à cegueira irreparável também passam despercebidas. É por isso que muitos diabéticos já chegam aos consultórios com perda importante da visão por retinopatia diabética e metade dos brasileiros com glaucoma só descobrem a doença em estágio avançado”, ressalta.

O pior é que diversos estudos realizados desde o anúncio da pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que a Covid-19 não afeta só o sistema respiratório. Tem efeitos sistêmicos, entre eles distúrbios neurológicos e formação de trombos na corrente sanguínea. Nos dois casos o oftalmologista afirma que estudos em andamento apontam riscos para a saúde ocular. Por isso, recomenda manter a periodicidade das consultas. “O Penido Burnier e todas as clínicas especializadas não têm os mesmos riscos de contaminação encontrados em hospitais gerais. Aqui seguimos rígidos protocolos de higiene e o agendamento das consultas está sendo programado para não gerar aglomerações,” salienta.

Atualização contra a pandemia

Queiroz Neto ressalta que diante dos novos riscos para a saúde ocular nunca foi tão importante manter o intercâmbio científico para que a Oftalmologia garanta atendimento médico eficiente à população. O combate a epidemias faz parte da história do hospital desde 1930 quando o Penido Burnier se tornou referência pelo pioneirismo do tratamento de duas doenças oculares infecciosas comuns à época: tracoma e cisticercos. Artigos sobre tracoma de João Penido Burnier, e sobre cisticercose de Leôncio Souza Queiroz, avô do atual presidente do hospital, fazem parte dos primeiras publicações sobre Oftalmologia. A mais antiga revista científica do país é a "Arquivos do IPB" que hoje soma 61 números, além de 91 fascículos publicados pelo hospital.

Programação:

Na abertura, renomados especialistas fazem breve homenagem ao hospital. São eles: Miguel Burnier, professor na McGill University (Canada), Rubens Belfort Júnior, presidente da ANM (Academia Nacional de Medicina), José Luiz Gomes do Amaral presidente da Associação Paulista de Medicina e José Beniz presidente CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia).

Os estudos de casos abordam:

  • Ultrassonografia e oncologia ocular
  • Úvea e retina
  • Glaucoma
  • Córnea
  • Plástica e órbita
  • Estrabismo e oftalmopediatria
  • Neuroftalmologia e doenças sistêmicas

Fonte: assessoria de comunicação do  Instituto Penido Burnier