04 de Dez de 2020

A condição aparece naturalmente, mas pode ser tratada

Talvez você — ou alguém que você conhece — já tenha sentido certa dificuldade ao ler de perto; um obstáculo que a visão não enfrentava antes. Objetos próximos começam a ficar embaçados, sem foco e, às vezes, é necessário até se distanciar deles para poder enxergar corretamente. Este é um processo natural do envelhecimento do olho chamado presbiopia ou ‘visão cansada’. Mais comum em pessoas acima dos 40 anos, a condição acontece devido ao desgaste natural dos olhos. Tecnicamente, a presbiopia se dá quando o cristalino do olho perde a elasticidade, fazendo com que a vista não foque mais quando algo chega pertinho. Isso pode acontecer com livros, cardápios ou objetos aleatórios, de modo que é comum encontrar pessoas que precisam afastá-los com os braços para poder ler o que está escrito. Em algumas partes do país, a vista cansada é chamada de ‘síndrome do braço curto’, justamente por esse movimento.

A presbiopia pode pegar algumas pessoas de surpresa, mas é importante saber que é uma condição natural, advinda com o passar dos anos. No entanto, não é necessário seguir em frente com a dificuldade, uma vez que existem tratamentos e procedimentos que podem devolver o foco e a nitidez para seus olhos. A Dra. Manuela Benites, oftalmologista, conta que “os pacientes chegam no consultório assustados, pois estão perdendo a visão de perto, muitas vezes como se fosse da noite para o dia”. Contudo, não é preciso se preocupar. Assim que identificada a presbiopia, o oftalmologista irá recomendar o tratamento mais adequado de acordo com sua idade.

É possível recuperar a visão da juventude de maneira simples e tecnológica, basta escolher o profissional certo para cuidar de seus olhos.

Depois do diagnóstico

Existem dois tipos de presbita: o jovem, com cerca de 40 anos, que normalmente percebe que está perdendo o foco quando demora ou não consegue ler algo de pertinho, como uma bula ou um cardápio. Para esse caso, a sugestão é o uso de óculos multifocais ou lentes de contato multifocais. Outra possibilidade é usar o esquema de monovisão, quando um olho é corrigido para longe e outro para perto. O segundo tipo de presbita é aquele que tem a condição há mais tempo. O paciente, por volta dos 55 anos, procura o médico para retirar uma catarata em estágio inicial e, no procedimento, já substitui as lentes por intraoculares multifocais. Tudo é feito rapidamente, com segurança e alta tecnologia. “São os pacientes mais felizes no pós-operatório”, conta a Dra. Michelle Lemos, oftalmologista.

Senhores voltam a ler jornal sem óculos, senhoras voltam a se maquiar com nitidez, a abraçar os netos sem embaçar os óculos e praticar esportes com mais liberdade. Mas estes também podem usar óculos e lentes de contato, caso haja recomendação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Portal Gazeta do Povo