04 de Dez de 2020

Dados alertam sobre os casos que podem ser tratados e evitados. Uso excessivo de eletrônicos pode causar a Síndrome do Olho Seco

No Dia Mundial da Visão, um alerta sobre a cegueira evitável
No Dia Mundial da Visão, um alerta sobre a cegueira evitável

No Brasil, atualmente há mais de 1,2 milhão de cegos, e de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), calcula que cerca de 60% das cegueiras são evitáveis. Trazendo para a realidade brasileira, quase 700 mil brasileiros que são cegos, poderiam estar enxergando bem, se tivessem recebido atendimento e tratamento oftalmológico precoce.

Diante dessa realidade, a OMS, definiu um dia todo ano — neste 8 de outubro -— para alertar e sensibilizar a população sobre a importância da visão. A data é chamada de Dia Mundial da Visão, sempre celebrada na segunda quinta-feira de outubro. O papel do médico oftalmologista é fundamental para essa prevenção e aumento dos casos de cegueira.

A plena saúde dos olhos vai além dos cuidados oculares. Outras doenças como a pressão arterial, ocular e o diabetes tem papel importante, pois em casos extremos podem causar a cegueira. A Agência Internacional de Prevenção à Cegueira (IAPB) calcula que no Brasil 33 mil crianças sejam cegas devido às doenças oculares que poderiam ter sido evitadas ou tratadas precocemente. Entre as crianças, glaucoma congênito, retinopatia da prematuridade e toxoplasmose ocular congênita são as principais causas para a cegueira. 

“Daí a importância da realização do exame oftalmológico para descoberta antecipada de problemas que podem levar à perda da visão. O teste do olhinho, por exemplo, é capaz de detectar a catarata, o glaucoma congênito e qualquer patologia ocular congênita que cause opacidades de córnea”, explica a oftalmologista Dra. Keila Monteiro de Carvalho, professora de Oftalmologia da Unicamp e chefe do Departamento de Oftalmologia da FCM/Unicamp.

A história não é muito diferente entre a população com idade superior a 60 anos. Segundo Dra. Keila Monteiro de Carvalho, catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à idade (DMRI) são as três principais causas de cegueira entre os idosos. “Estima-se que três milhões de brasileiros, com idade acima de 65 anos, sofram de DMRI, em estágios variados de evolução”, comenta a especialista.

Quarentena e a Síndrome do Olho Seco

Em tempos de pandemia, a data chama ainda mais a atenção para a importância da saúde ocular. O número de pessoas com a Síndrome do Olho Seco aumentou e esse problema decorre de um comportamento acentuado com o isolamento social que é passar muitas horas do dia diante da tela do computador ou celular. Esse hábito pode deixar o olho seco, irritado e cansado.

Outro fator que pode agravar a Síndrome do Olho Seco é a chegada de uma nova estação. A primavera traz irregularidade climática e baixa umidade, o que interfere diretamente no ressecamento da lágrima. Além disso, é preciso estar atento para não coçar os olhos pois a fricção frequente pode estimular danos na córnea. Outro alerta importante que ganhou destaque durante a pandemia da Covid-19 foi a conscientização de não levar as mãos ao rosto, em especial olhos, nariz e boca, para evitar contaminações.

 

 

 

Fonte: Portal A Voz da Serra