23 de Jun de 2021

Oftalmologista explica como identificar a condição e fala sobre sintomas e tratamentos

Moscas Volantes

Em formato de filamentos, cobrinhas, círculos ou mesmo teias de aranha, as moscas volantes são pequenos pontos escuros na visão, que parecem se mexer na frente dos olhos, sendo mais facilmente percebidos durante a leitura, quando se olha fixamente para um ponto branco ou na direção da luz. “As moscas volantes têm vários formatos e, embora não interfiram na visão, precisam de um cuidado especial, pois podem ser perigosas em casos mais severos”, explica o oftalmologista Dr. Marcelo Valença, especialista em Retina e Vítreo.

A maior parte das vezes, essa condição não é grave. Entretanto, quando as moscas volantes aparecem é importante consultar o oftalmologista. “Só por precaução, o paciente deve marcar uma consulta, pois essas opacidades aparecem quando o vítreo, o líquido interno do nosso olho, se solta da retina, podendo em algumas ocasiões provocar ruptura na mesma”, recomenda o médico.

Quando as moscas volantes são decorrentes de rupturas na retina, essa estrutura do olho deve ser selada com laser. “Esse procedimento evita que a condição provoque o descolamento da retina, o que é mais grave e pode ocasionar a cegueira”, esclarece o doutor Marcelo.

Não existe tratamento indicado para diminuir os sintomas. “Se as moscas volantes não se relacionarem a um problema sério, como rupturas na retina, não é necessário tratá-las, pois com o passar do tempo elas tendem a diminuir, embora não desapareçam por completo”, comenta.

Sintomas

As moscas volantes são mais comuns em pessoas acima de 45 anos ou que já se submeteram à cirurgia de catarata ou a tratamento YAG Laser e, ainda, naquelas que sofreram inflamação do olho. “As moscas volantes não são manchas pretas fixas, elas são móveis, se deslocam no olho. Se o paciente avistar uma mancha fixa na visão, isso pode indicar um descolamento de retina ou outra causa mais grave”, alerta o oftalmologista.

Por isso, a consulta médica é de extrema importância, assim que os primeiros sintomas aparecerem. “É necessário ir ao oftalmologista quando as moscas volantes surgirem pela primeira vez, descartando, dessa forma, a presença de rasgões na retina. Ou então, quando houver aumento da intensidade das moscas já existentes ou quando estas vierem acompanhadas de flashes de luz ou sensação de cortina na visão”, recomenda Dr. Marcelo.

No entanto, se as moscas volantes permanecem de uma forma intensa na visão, tornando impraticável o convívio do paciente com elas, é possível fazer uma vitrectomia, que é uma cirurgia para sanar o problema definitivamente. “Porém, só recorremos a essa solução em último caso”, finaliza o médico.

 

 

 

 

Fonte: assessoria de comunicação do Instituto de Olhos do Recife